"Foge portanto daqueles que te querem convencer que o sofrimento voluntário, cego ou passivo, que a subjugação da liberdade da tua consciência a outra, que a negativização da tua aura, é O Caminho. ... Tu és o Teu Próprio Caminho. ... Por isto está escrito: Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos fará livres. Este mundo não é um antro de demônios expiando seus pecados; este mundo é um dossel de Deuses que dormem, e dormindo, sonham."

NOTA:

Algumas das imagens aqui publicadas, textos ou partes de texto, foram recolhidos em pesquisa de variados sites da net que não estão protegidas por copy ou por qualquer outro processo de segurança que impeça ou proíba a sua recolha. Os mesmos podem ser pesquisados e recolhidos na net, muitas vezes em variados endereços, ou aqui pelo basico sistema de clic direito sem proteção. As imagens recolhidas com marca de agua, são apresentadas com a mesma marca e os sites permissivos que pretendem especificamente a indicação do endereço/fonte aquando da republicação das imagens e textos, tambem...
"Olhe
mas não toque.
Toque
mas não prove.
Prove
mas não engula."

"A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original."

Albert Einstein

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."

Albert Einstein

"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer."

Albert Einstein

"A condição dos homens seria lastimável se tivessem de ser domados pelo medo do castigo ou pela esperança de uma recompensa depois da morte."

Albert Einstein

"Existem apenas duas maneiras de ver a vida; Uma é pensar que não existem milagres e a outra é que tudo é um milagre."

Albert Einstein

"Evitar a felicidade com medo de que ela acabe, é o melhor meio de se tornar infeliz."

Albert Einstein

"A felicidade não se resume na ausência de problemas, mas sim na sua capacidade de lidar com eles."

Albert Einstein

"A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada."

Albert Einstein

"A luz só, sem sombra, seria invisivel para nossos olhos e produziria um deslumbramento equivalente às mais profundas trevas." Eliphas Lévi

"Deus chama-se verdade, e nele a sombra e a luz fizeram um. Aquele que conhece isto não mente nunca, porque se ele quiser mentir, ele fez de sua mentira uma verdade." livro Oupnek´hat, livro mágico dos Brahmas

"Deus: Eu sou a alma universal, em mim estão o bem e o mal que se corrigem um pelo outro. Aquele que sabe disto, não será nunca um pecador; ele é universal como eu."

"Eu não tenho medo senão dos que temem o diabo" Santa Teresa

"O que é superior é como o que é inferior e o que está em baixo o que está em cima para formar as maravilhas da coisa única." Grande Hierofante Egicio (principio Hermético)

Relacionamentos - Perda do Interesse - Distanciamento do Parceiro


Só quem trabalha com ocultismo sabe o quanto são comuns as consultas voltadas a vida amorosa. E quantos pedidos de amor!

Quantas vezes ouvimos que o parceiro perdeu o interesse de uma hora pra outra e que isso só pode ser magia ?!?!?!?!?!

Nossa responsabilidade é muito grande. E apenas uma orientação pode fazer verdadeiros milagres! A maioria dos nossos problemas tem origem em nossos pensamentos e em nossa forma de encarar o mundo e as situações.  O equilibrio emocional é tão importante quanto a saúde física.

É nesse momento de fragilidade que uma pessoa é capaz de entregar verdadeiras fortunas a quem prometer "desmanchar os trabalhos de magia". 


Abaixo transcrevo trechos muito interessantes e instrutivos do livro Sexo no Cativeiro de Esther Perel:


"...

Desmontar o Sistema de Segurança

Muitas vezes esperamos que nossos relacionamentos nos protejam das vicissitudes da vida. Mas o amor é intrinsecamente instável. Então a gente o reforça: estreita os limites, fecha as aberturas e cria previsibilidade, tudo para se sentir mais seguro. Mas os mecanismos que montamos para tornar o destino mais seguro muitas vezes nos colocam mais em risco. O que é conhecido nos dá uma base, que talvez nos proporcione uma certa paz doméstica, mas, no processo, orquestramos o tédio. A verve do relacionamento sucumbe sob o peso daquele controle todo. Paralisados, os casais ficam se perguntando: "O que aconteceu com o divertimento? O que aconteceu com a excitação, a transcendência, o assombro?"

O desejo é alimentado pelo desconhecido, e, por isso mesmo, gera ansiedade. Em seu livro, Open to Desire [Aberto ao Desejo], o psicanalista budista Mark Epstein8 explica que nossa disposição de aceitar esse mistério mantém o desejo vivo. Diante da alteridade irrefutável de nosso parceiro, podemos reagir com medo ou curiosidade. Podemos tentar reduzir o outro a uma entidade conhecida ou podemos assumir seu mistério persistente. Quando resistimos ao impulso de controlar, quando nos mantemos abertos, preservamos a possibilidade da descoberta. O erotismo está no espaço ambíguo entre a ansiedade e a fascinação. Continuamos interessados no parceiro; ele nos diverte e somos atraídos para ele.

Mas, para muitos de nós, renunciar à ilusão de segurança e aceitar a realidade de nossa insegurança fundamental é um passo difícil.
...


O Aprisionamento Mata o Desejo

Para John, a intimidade encerra uma ameaça de cilada. Ele foi criado numa casa com um pai alcoólatra e abusivo. Não se lembra de uma época em que não estivesse profundamente sintonizado com os estados de espírito de seu pai e a tristeza de sua mãe. Em menino, foi recrutado para ser quem cuidava afetivamente da mãe, aliviando sua solidão. Era a única esperança dela, seu refrigério, uma afirmação viçaria: sua vida infeliz seria vingada através daquele filho maravilhoso. Os filhos de casamentos tão conflituosos muitas vezes são convocados a proteger o pai ou a mãe vulnerável. John nunca duvidou do profundo amor de sua mãe por ele; e o amor nunca deixou de vir acompanhado de uma sensação de peso. Desde cedo, o amor implicava responsabilidade e obrigação. E embora tenha sede do aconchego da intimidade — nunca deixou de ter uma mulher em sua vida —, ele não sabe como sentir amor sem se sentir confinado.

O amor emergente que sente por Beatrice traz em si o mesmo peso que o amor sempre teve para ele.
Há muitas circunstâncias que podem levar as pessoas a sentir que o amor e a intimidade constrangem — uma infância infeliz não é um pré-requisito. Ao falar de amor, o povo argumenta que isso deve ser considerado "medo da intimidade", que é visto como sendo principalmente um problema masculino. Mas o que observo não é tanto uma relutância em iniciar um vínculo íntimo — ninguém pode duvidar do profundo envolvimento de John com Beatrice. E antes o peso desse envolvimento que essas pessoas acham excessivo.
Privando-se da liberdade e da espontaneidade que o erotismo exige, elas sentem que a intimidade aprisiona.

As inibições sexuais de John exacerbam-se à medida que seu envolvimento com a namorada se aprofunda. Aliás, quanto mais gosta dela, menos livremente pode cobiçá-la. Para ele, como para muitos outros homens com esse problema, a suspensão do erotismo não é sutil. Ele está à mercê de um pênis teimoso que simplesmente não reage. Mas por quê? Qual é o bloqueio erótico que o impede de buscar prazer com Beatrice, a mesma mulher com quem, ainda há pouco, ele estava deitado num paraíso langoroso?

Ironicamente, até mesmo a intimidade que surge quando o sexo é bom pode ter um efeito bumerangue. Como John e Beatrice, muitos casais vivem sua relação como uma dança em que o sexo prazeroso os aproxima, mas essa mesma proximidade pode tornar o sexo difícil outra vez. O êxtase inicial facilita uma união rápida e estabelece uma ligação imediata. Mas embora muitos de nós adoremos a idéia de nos perder no sexo, a própria integração que sentimos com a união de nossos corpos pode evocar uma certa obliteração. A intensidade da paixão sexual desencadeia um medo de ser engolido. Naturalmente, poucos de nós nos damos conta desses sentimentos ocultos na hora.

O que sentimos é o impulso de nos retirar logo após o orgasmo, ou o desejo repentino de fazer um sanduíche, de acender um cigarro.
Qualquer idéia que nos passe pela cabeça é bem-vinda: eu tencionava mandar um e-mail para... Essas janelas precisam ser limpas... Como será que vai meu amigo Jack? Gostamos de ser deixados em paz para divagar sem pressa, porque isso restabelece uma distância psicológica, uma delineação dos limites entre ' você e mim. Do "inter", voltamos ao "intra". Tendo estado um no outro, retiramo-nos para nossa própria pele. É no fim do ato sexual que a passagem da união à separação é representada com mais clareza.

Em seu livro Arousal [Excitação], o psicanalista Michael Bader5 oferece outra explicação para o impasse erótico de John e Beatrice.
Segundo ele, a intimidade vem com uma preocupação crescente com o bem-estar da cara-metade, que inclui o medo de magoá-la. Mas a excitação sexual requer a capacidade de não se preocupar, e a busca do prazer exige certa dose de egoísmo. Algumas pessoas não podem se permitir esse egoísmo, por estarem muito concentradas no bem- estar do amado. Essa configuração emocional faz lembrar como John se sentia em relação à mãe —sua percepção da infelicidade dela o sobrecarregava de preocupações e era um peso para ele. A própria afeição que ele sente faz com que lhe seja mais difícil focar suas necessidades, sentir-se espontâneo, sexualmente vivo e descontraído.

John enfrentou esse problema frustrante de perda de desejo em todas as relações íntimas que já teve. Antes, sempre que aparecia o bloqueio, ele o interpretava como querendo dizer que já não amava a mulher. Na verdade, é o oposto. É por amá-la tanto que ele carrega esse sentimento de responsabilidade por ela e não consegue curtir a prazerosa busca do arrebatamento erótico.
...

Os Padrões São Criados a Dois

As dinâmicas nos relacionamentos são sempre complementares — as duas partes contribuem para criar padrões. Não podemos falar sobre o medo de aprisionamento de John e da diminuição de seu desejo sem também dar uma olhada no que Beatrice traz para a relação. Então convido-a a vir a algumas sessões com John. Ao longo de nossa conversa, sua contribuição para o quebra-cabeça fica clara.

No ardor do namoro, ela harmonizou seus interesses com os dele, abriu mão de quase todas as atividades que não o incluíam, e parou de ver seus amigos. Infelizmente, todas as suas tentativas de aumentar a intimidade entre eles foram contraproducentes em termos eróticos. Sua ânsia de agradar e sua disposição constante de abrir mão prontamente de tudo que possa se colocar entre eles aumentam o peso emocional e exacerbam ainda mais seu afastamento sexual. E como se o pênis dele estivesse criando um limite que, de outro modo, ele não pode estabelecer. É difícil se sentir atraído por alguém que perdeu sua noção de autonomia. Talvez ele possa amá-la, mas é nitidamente muito mais difícil para ele desejá- la. Não há tensão. Sugeri que Beatrice deixasse de morar com ele por uns tempos, e restabelecesse uma certa independência. Fazer isso a encorajou a tornar a entrar em contato com as amigas e parar de organizar sua vida em torno de John. Como eu disse a ela:

—Você tem tanto medo de perdê-lo que se alienou e perdeu sua liberdade. Não há uma pessoa diferente para ele amar.

A John, eu disse:

— Você cuida tanto das pessoas que já não consegue ser amante. Precisamos restabelecer um grau de diferenciação e recriar um pouco da distância que havia entre vocês no início. É difícil sentir desejo quando se está sobrecarregado de preocupação.

Pouco depois, Beatrice foi morar sozinha. Numa reviravolta extraordinária, encontrou seu próprio apartamento, inscreveu-se num programa de Ph.D., fez uma viagem com as amigas e começou a ganhar o próprio dinheiro. Aos poucos, à medida que John se convencia de que ela podia caminhar sozinha e ficava claro para Beatrice que ela não precisava abdicar da própria individualidade para merecer amor, eles criaram um espaço entre eles em que o desejo podia fluir melhor.

Muitos dos homens e muitas das mulheres que atendo no consultório acham particularmente difícil introduzir esse tipo de espaço emocional em suas relações amorosas. Seria de pensar que a segurança de uma base estabelecida tornasse mais fácil correr esse tipo de risco, mas não. Uma relação segura realmente nos dá coragem para seguir nossas ambições profissionais, enfrentar segredos de família e fazer o curso de pára-quedismo que nunca ousamos considerar antes. Mas refugamos diante da idéia de estabelecer distância dentro da relação em si —o próprio lugar que nos faculta a deliciosa união em primeiro lugar. Podemos tolerar espaço em qualquer lugar menos ali.

O desejo sexual não obedece às leis que mantêm a paz e a satisfação entre os parceiros. Razão, compreensão, compaixão e camaradagem são os elementos que favorecem uma relação próxima e harmoniosa. Mas o sexo muitas vezes evoca antes obsessão irracional do que discernimento atencioso, e desejo egoísta do que consideração altruísta. Agressão, coisificação e poder existem à sombra do desejo, componentes da paixão que não necessariamente alimentam a intimidade. O desejo atua em sua trajetória própria.
"O grande aprendizado humano é entender o destino: ele é dinâmico, incontrolável e irreversível."

“Creio na verdade fundamental de todas as grandes religiões do mundo. Creio que são todas concedidas por Deus e creio que eram necessárias para os povos a quem essas religiões foram reveladas. E creio que se pudéssemos todos ler as escrituras das diferentes fés, sob o ponto de vista de seus respectivos seguidores, haveríamos de descobrir que, no fundo, foram todas a mesma coisa e sempre úteis umas às outras."

“As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes, desde que alcancemos o mesmo objetivo?”

“Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensamentos tornam-se suas palavras. Mantenha suas palavras positivas, porque suas palavras tornam-se suas atitudes. Mantenha suas atitudes positivas, porque suas atitudes tornam-se seus hábitos. Mantenha seus hábitos positivos, porque seus hábitos tornam-se seus valores. Mantenha seus valores positivos, porque seus valores... Tornam-se seu destino.”

MAHATMA GANDHI

EU SOU A DEUSA,
EU SOU A BRUXA,
EU SOU AQUELA QUE ILUMINA E PROTEGE.
O PODER DA GRANDE MÃE ESTÁ DENTRO DE MIM.
QUE A GRANDE MÃE, A SENHORA DO NORTE,
ENCHA DE FRUTOS A ÁRVORE DA MINHA VIDA.
GRANDE DEUSA QUE HABITA O MEU SER!
SANTIFICA CADA PALAVRA MINHA E CADA ATO MEU.
AFASTA CADA SOMBRA DA MINHA VIDA,
ILUMINA TODAS AS MINHAS ESTAÇÕES, FAÇA-ME FORTE NA DOR,
FAÇA-ME BELA NO AMOR.
QUE TEU NOME E TEU PODER .
SEJAM O MEU NOME E MEU PODER.
QUE ASSIM SEJA E ASSIM SE FAÇA.


(desconheço a autoria)

NOSSO CALENDÁRIO

Data dos Sabbats no Hemisfério Norte

* Imbolc 1 de Fevereiro
* Ostara 21 a 23 de Março (Equinócio)
* Beltane 1 de Maio
* Litha 21 a 23 de Junho (Solstício)
* Lammas 1 de Agosto
* Mabon 21 a 23 de Setembro (Equinócio)
* Samhain 31 de Outubro
* Yule 21 a 23 de Dezembro (Solstício)

Data dos Sabbats no Hemisfério Sul

* Lammas 1 de Fevereiro
* Mabon 21 a 23 de Março (Equinócio)
* Samhain 1 de Maio
* Yule 21 a 23 de Junho (Solstício)
* Imbolc 30 de Julho
* Ostara 21 a 23 de Setembro (Equinócio)
* Beltane 31 de Outubro
* Litha 21 a 23 de Dezembro (Solstício)

"A mulher despertada para a sua Deusa interior, caminha serenamente entre a dor e as verdades da alma, consciente da meta estabelecida e da plenitude a ser alcançada."

Lya Luft

A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura.

Aprendemos a amar ...

Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar.
Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim, a amar o que nos foi dado, pois tudo o que relamente é nosso, nunca se vai para sempre.
(Bob Marley)

A mais bela e profunda emoção que se pode experimentar é a sensação do místico...Aquele a quem seja estranha tal sensação, aquele que não possa devanear e ser empolgado por esse encantamento não passa, em verdade, de um morto."

Albert Einstein

"O movimento absoluto da vida é o resultado perpétuo de duas tendências contrárias que nunca serão opostas." Eliphas Levy
"A razão e a fé se excluem mutuamente pelas suas naturezas e se unem pela analogia. A analogia é o único mediador possível entre o visível e o invisível; ela é a chave de todos os segredos da natureza e a única razão de ser de todas as revelações. Para o ignorante, a hipótese é a afirmação absoluta e a afirmação absoluta é a hipótese."
Eliphas Levy
"A morte é um fantasma da ignorância - ela não existe. Tudo é vivo em a natureza; e é porque tudo é vivo que tudo se move e muda incessantemente de formas." Eliphas Levy

"A vida não dá e nem empresta, não se comove e nem se apieda. Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos.”

Albert Einstein

"A Grande Obra é, antes de tudo, a criação do homem por si mesmo, isto é, a conquista plena e total que faz das suas faculdades e do seu futuro; é, principalmente, a emancipação perfeita da sua vontade..."
Eliphas Levy

"A última vitória que o homem pode obter sobre a morte é triunfar do gosto da vida, não pelo desespero mas por uma esperança maior ... por tudo que é belo, honesto ... Aprender a vencer-se é, pois, aprender a viver ... Todo homem que está pronto para morrer ... é imortal na sua alma..."
Eliphas Levy
Ocorreu um erro neste gadget
"Nem tudo que se enfrenta pode ser modificado mas nada pode ser modificado até que seja enfrentado."
Albert Einstein

"Toda intenção que não se manifesta por atos é uma intenção vã, e a palavra que a exprime é uma palavra ociosa.
É a ação que prova a vida, e é também a ação que prova e demonstra a vontade.
Por isto está escrito nos livros simbólicos e sagrados, que os homens serão julgados, não conforme seus pensamentos e suas idéias, mas sgundo suas obras.
Para ser é preciso fazer..." Eliphas Levi - Dogma e Ritual da Alta Magia

"Começa por fazer o que é necessário, depois o que é possível e de repente estarás a fazer o impossível."
São Francisco de Assis
"Todo poder que não dá razão a si mesmo e que pesa sobre as liberdades, sem lhes dar garantias, é somente um poder cego e transitório; a autoridade verdadeira e duradoura é a que se apóia na liberdade, dando-lhe, ao mesmo tempo, uma regra e um freio."
Eliphas Levy

“Eu levanto-me hoje
Pelo poder do Céu:
A luz do Sol,
O brilho da Lua,
O esplendor do Fogo,
A rapidez do Raio,
A doçura do Vento,
A fundura do Mar,
A segurança da Terra,
A firmeza da Rocha.”

"Será que anjos existem? Acho que sim.

“Anjos que com belas palavras te farão esquecer dias infaustos de dor... que contigo compartilham tristezas, alegrias...

E quando a ajuda é recebida... Quando a ferida é fechada... Eles se vão... E tornam ao céu... A bater as suas asas no infinito das estrelas.

O anjos existem ? Claro que existem. Existem aqueles que estão pertinho de nós e que nos deitam a mão, que nos dão um sorriso, um abraço, que nos dizem uma palavra de carinho e de incentivo e existem os outros, que nós não vemos, mas que sabemos que eles estão lá… aqueles que acima de tudo...resgatam o nosso sorriso quando mais precisamos...”

"... Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre. Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração! Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente! Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE! Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes. Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer: - E daí? EU ADORO VOAR!"

Apesar de cultuar as forças da Natureza e a Religião antiga, transcrevo neste blog trechos de trabalhos de Eliphas Levy, Hermes Trismegistus, John Dee, Edward Kelley , Allan Kardec, Chico Xavier, Madre Teresa, São Francisco de Assis, Ghandi, por admiração ao seu trabalho.

Meu profundo respeito a todas as escolas,

(¯`·._.·Meiroca·._.·´¯)